terça-feira, 16 de março de 2010

Lançamento do livro "Corre-me um Rio no Peito" (1)

Caros Amigos que visitam "Esses Caminhos que andei..."
Sr. Luís Jales de Oliveira, Escritor, Poeta e Ilustre Mondinense

Com o autocolante "Em 2010 o nosso Coração está com o Tâmega" ainda bem colado do lado esquerdo do meu peito, foi com enorme alegria que assisti no passado Sábado, 13 de Março 2010, ao lançamento do fascinante livro «Corre-me um Rio no Peito», uma brilhante obra de Luís J. Oliveira, que nos descreve as suas recordações e faz uma sentida reflexão poetica do Tâmega que tanto ama.
Da parte da manhã, eu havia contido alguma frustação junto à Ponte de S. Gonçalo, em Amarante, durante a manifestação contra as barragens, por verificar que na luta por esta justa causa, estarem apenas presentes (que eu conheça) dois Mondinenses: Fernando Gomes e João Alarcão, do Executivo da Freguesia de Mondim de Basto.
Todavia, à noite, emocionei-me ao ver aquela grande sala do Quartel dos Bombeiros a arrebentar pelas costuras. Fantástico!
Mondinenses (e não só) prestaram um caloroso reconhecimento àquele cidadão que com uma simples caneta é um gigante defensor do curso natural do "nosso" Tâmega e que quer continuar a ver...«as covinhas dos calhaus na ebulição dos cachões e as suas águas cristalinas, selvagens e doces...», Luís Jales de Oliveira.

Durante o programa, preparado minuciosamente pela MONDeventos, com fotos do Tâmega a serem projectadas na tela em fundo e brilhantemente conduzido pela filha Margarida, foi duma beleza enternecedora e deslumbrante, presenteando-nos com as participações musicais fabulosas de Dinora Campos, interpretando Zeca Afonso; do pianista José António Machado; o grupo de excelentes guitarristas, a acompanhar o também excelente fadista, Manuel Faustino; a sentida declamação doutro poeta Mondinense, Nelson Teixeira da Silva, o "Nelson Barroca"; e as crianças também a declamar poemas do livro... que momento divino! E outras actuações que agora não me recordo.
Depois, aquele momento mais aguardado: o "Ginho" (como é carinhosamente conhecido pelos Mondinenses) Luís Jales de Oliveira, dirigindo-se a todos os presentes num sentido e emocionante agradecimento aos mais de trezentos Amigos, que lhe responderam com uma estrondosa salva de palmas.Uma vez mais estremeci ao ouvir o "Hino de Mondim", interpretado pelo Grupo Coral Mondinense, com a preciosa colaboração do próprio Luís Jales. E os meus olhos humedeceram quando ouvi da sua boca proferir, entre outros, também o meu nome, num agradecimento público pela divulgação que faço aos seus poemas e à sua maravilhosa Terra, nas minhas humildes páginas na NET.

Sr. Luís Jales de Oliveira

Sabe que foi pela acção "Turística/Desportiva" do Presidente da Freguesia, Fernando Gomes, que há cinco anos me apaixonei por Mondim de Basto e pelas suas obras poéticas. (se calhar também por obra de S. Cristovão e um medalhão que me protege e trago sempre comigo)
É já um dever para mim divulgar ao Mundo tudo o que vejo, leio e sinto referente a Mondim de Basto, por estas simples razões: A Terra é encantadora! As Gentes são fantásticas! A Poesia é Divinal!
Com aquele abraço caloroso, sou eu quem pede para ser considerado por si e sua digníssima família que tanto ama, um Amigo... para sempre!
Muito obrigado pela obra literária pura com que nos fala de Mondim e das terras de Basto.
Com o devido respeito por todos os Mondinenses e pelo que verifico e admiro nas vertentes Literária e Naturalista, quem dera em Portugal houvesse mais "Ginhos" e "Fernandos Brasileiros". Oh! Quem dera!

Aquele Abraço

Sem comentários:

Publicar um comentário