quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

para 2016: AMOR




Amor

Em doirada manhã para sempre relembrada,
E em virgem descampado, um rútilo guerreiro,
Olhos postos nos meus, traçou igneo roteiro
E desenha um coração com a flamejante espada...

"Vai em busca do Amor, exclamou. - Escolhe a estrada,

Dá-lhe batalha e vence o terrível fronteiro". 
Eu era ingénuo e moço, era forte e fragueiro,
Quando parti, feliz, nas névoas da alvorada...

No ardor de pelejar, meses e anos, fremente,

A terra percorri... ao cabo, ingloriamente,
Regressei, do combate, esfarrapado e em áis...

Um "anjo" vi, por fim, sobre a cruz dos caminhos.

Trago rosas nas mãos e os pés cheios de espinhos;
E peço-te, ó Amor, que não me fujas mais!

António Carneiro



Aquele Abraço

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Um "Verdadeiro PAI..."

NATAL - 365 dias por ANO !!!


Sr. Padre Baptista :

Para mim o que fica desta lição de grande humanidade que nos dá, é poder ver num firme alicerce em que a sua nobre caridade assenta, pedra a pedra, os símbolos da sua Obra que tem tanto de grandeza imaculada aos olhos de Deus e os benefícios grandiosos aos olhos dos seus pobres doentes, para quem com tanta devoção e Amor o senhor sacrificadamente trabalha e os guia 365 dias por ano, porque é um... «Verdadeiro Pai» ao serviço da Igreja de Deus!

Em nome dos que acreditam, muito obrigado e desejo-lhe saúde e paz!

Aquele Abraço

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

A Todos desejo um Feliz Natal




NO PRESÉPIO

Naqueles dias, então,
- por decreto imperial -
saíu um senso geral
a toda a Tribo ou Nação.

César Augusto era o génio
de Roma - da Seythia à Illyria -
Era então também Cirenio
o presidente da Syria.

Longas estradas de além,
José, mais a noiva amada,
caminharam de jornada
para as terras de Bethlem.

José, o noivo real,
tivera seu berço ali.
Era o seu país natal.
Eram campos de David.

De regia ascendência nobre,
José, apesar de herdeiro,
era um simples carpinteiro,
sereno, tranquilo e pobre.

Sabia vestir os nus,
socorrer a fome crua,
e aos olhos da noiva, à lua,
mandar súplicas de luz.

Ora, eram vindos os dias,
segundo os signos dos Céus,
e as letras das Profecias:
- que nascia um Filho de Deus.

Mas este Filho Real
não foi dos Céus embalado,
não teve ouro nem brocado,
nem teve régio enxoval.

Não lhe mandou Deus enfeite
em uma salva dourada.
- Teve as pérolas do leite,
- e o orvalho da madrugada.

Não lhe cantaram cantigas
os sóis, para o adormecer.
- Teve o oiro das espigas
- e os rubís do amanhecer.

Não lhe ofertaram toalhas
princesa ou rainha loura.
- Por enxoval teve as palhas.
- Por berço uma manjedoura!

Não lhe fez festas o Eterno,
ao colo de uma Rainha.
- Só teve o bafo materno
da vaca, e da jumentinha!

E o Rei da Morte e da Dôr,
sem ter archeiros reais,
só leu cortejos de Amor
- nos olhos dos animais!

Gomes Leal / História de Jesus


Citação de Pe. Américo Monteiro de Aguiar:

«Todo o regresso a Nazaré é Progresso Social Cristão»

Aquele Abraço

domingo, 20 de dezembro de 2015

REFLEXÃO...

porque tu me ouviste!



O que dignifica o Homem no mundo vivo, não é a subordinação à Natureza, aos instintos, mas o esforço para superar aquela e estes, no culto dum ideal supremo de perfeição espiritual.
Viver não é vegetar, não é ser escravo desprezível das paixões e da animalidade, mas sentir, pensar e agir numa constante aspiração de Amor, Paixão, Verdade e Justiça!

Obrigado!

A. A. Mendes Correia 

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

As desigualdades sociais... em poesia!

Do Mestre António Aleixo (voz do Povo)

Tu já viste a «poesia»
Que há numa casa sem ceia?
Nem azeite na candeia,
Nem luz, se morre a do dia?...

É triste que a gente veja
Tanta gente que não come:
O pão que a muitos sobeja
Matava bem essa fome.
                                                                                                         
A fome, a dor, a tristeza
São - por nossa infelicidade -
O preço porque a pobreza
Paga a sua honestidade.


 A fartura ao pé da fome
Raramente se dá bem:
Quase sempre quem tem come
À custa de quem não tem!

Esta camisa é velhinha...
Mas o que querem que faça?!
Há mais novas do que a minha,
Mas só compra quem tem massa!

O Povo do meu País
P'ra se esquecer que não come,
Vê a imprensa que diz
Que em Portugal não há fome!



Pobres, porque aumentam eles?
É fácil de compreender:
Para serem escravos daqueles
Que podem fugir de o ser.

Entre grandes e pequenos
Ficávamos quase iguais,
Dando a uns um pouco menos
E a outros um pouco mais.

Sei que há-de haver quem conheça,
Mas há muitos que ignoram
Que há quem não chore e padeça
Mais do que muitos que choram.



Prometem ao «Zé Povinho»
Liberdade, Lar e Pão...
Como se o mundo inteirinho
Não soubesse o que eles são!

E essa mascarada enorme
Que a política nos aldraba,
Dura enquanto o Povo dorme,
Quando ele acordar, acaba!

Se essa firme hipocrisia
Tombar do seu pedestal,
Vai nascer, dia após dia,
O Sol p'ra todos igual!


Será que há uma luz ao fundo do túnel?!

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

A Feira dos Passarinhos no Porto...

Vai mudar para as Fontainhas, a partir de 3 de Janeiro de 2016!


A Feira dos Passarinhos no Porto

( Ao Domingo de manhã )

ANIMAIS PARA TODOS OS GOSTOS


Todos os Domingos de manhã, outrora ao lado da estação de S. Bento, e nos dias de hoje até ao final de 2015, junto á Cordoaria, na cidade do Porto, realiza-se uma feira destinada à exposição pública e venda de animais, bem como de todos os alimentos e utensílios necessários para a sua sobrevivência e bem-estar.

Venha ver! Mesmo que não tencione comprar... só o espectáculo vale a pena!

Mais vale prevenir do que não remediar. Isto quer dizer que, antes de levar os seus filhos à Feira dos Animais que se realiza todos os Domingos no Porto, deve tomar a sensata precaução de combinar previamente se vão comprar algum animal. E, já agora, qual. Não se esqueça de que, lá pelo facto de você se contentar com um peixinho que nada num aquário sem dar muito que fazer à família, os seus filhos podem estar a imaginar que o ideal seria adquirir um cachorrinho brincalhão que se entretivesse a pôr a casa em polvorosa... È que, se não for devidamente prevenido, é natural que, no meio da confusão geral de vendedores que apregoam os seus bichos alto e bom som e de pessoas que por vezes se acotovelam para comprar um animal mais bonito pelo melhor preço, se deixe “comover” pelos apelos dos seus rebentos . E depois, desde o cachorrinho “tão fofinho” ao papagaio “tão cómico”, passando pelo hamster “tão querido” e pelo coelho “tão engraçado”... corre o risco de ver a sua casa transformada, de um dia para o outro, num autêntico Jardim Zoológico. Ainda por cima, os preços são verdadeiramente convidativos. E, como se não bastasse, vende-se tudo quanto é preciso para garantir a sobrevivência e o bem-estar do animal escolhido. Para os peixes, há aquários de todos os tamanhos e feitios com pedrinhas e algas de plástico para dar “um cheirinho” de fundo de mar. Ainda continuando nos aquários, seguem-se as tartarugas, com pedras e as palmeiras a compor o cenário. Mas o forte da feira são, sem dúvida, os pássaros. O cantar dos pássaros é o ruído de fundo que acompanha os transeuntes que se passeiam pelo espaço em que decorre a feira. Há muita gente que visita a feira, exclusivamente por ser amante das aves.
Há de tudo – desde os pássaros mais banais e baratos, como os periquitos, os mandarins e os bengalins até aos mais exóticos e dispendiosos como os papagaios e as araras. Mas, sem dúvida, a grande quantidade exposta de aves são os "tentilhões australianos" onde se destacam os Diamantes de Gould e Estrêla, mas maioritariamente os Canários, que alguns feirantes mais competentes e "mestres da arte" garantem ser bons reprodutores para os amantes da ornitologia ou a cantar na perfeição para quem gosta das melodias das aves.



Raridade e particularidades dos animais também se repercutem nos preços

Como explicam os vendedores, os preços dos pássaros variam conforme a sua apresentação, o seu talento para o canto e as “habilidades” que sabem fazer. Dos canários e dos já raros rouxinóis espera-se um – cantar harmonioso – mas aos papagaios exige-se bastante mais: deseja-se que aliem a capacidade de dizer palavras ao carácter manso que não habilita os candidatos a donos a levarem umas boas bicadas. No que diz respeito às aves, além de muitos outros pássaros com os mais diversos nomes, incluindo os híbridos ou travessos, ainda há a possibilidade de comprar pombas, rolas, patos e galinhas. Hoje está muito na moda de ter em casa um "psitacideo ou pequena ave de bico curvo" que foi criada à mão pelos criadores experientes e passeiam no ombro das pessoas a dizer já algumas palavras como - olá, porto, au au e miau, e até dão beijinhos a pedido.
Nada falta para as ditas aves: gaiolas dos mais variados formatos, materiais e tamanhos, resguardos em belos tecidos para proteção destas e poder ter na sala de estar, ninhos para todas as espécies e comida para todos os gostos. Com o canto dos pássaros, mistura-se na Primavera o dos grilos, numa estranha mas agradável sinfonia. A acompanhar os grilos, vem uma pequena gaiola de plástico que serve de casa a estes.
Embora em menor quantidade, há muitos outros animais nesta feira. Vendem-se hamsters, porquinhos da Índia, coelhos anões, cágados e cachorrinhos. Entre muitas coisas úteis, há livros que ensinam a tratar dos animais, vitaminas e fortificantes para todas as maleitas, coleiras para cães e gatos e recipientes para a água e comida. Adquirem-se as “anilhas fechadas” do ano, para identificação de idade das aves e as “anilhas abertas de cor” para diferenciar os sexos.
De um modo geral, existe convívio entre vendedores e compradores e fazem-se amizades! Não se deve deixar que acabem com este evento que a autarquia proporciona a todos, mas há regras para cumprir e que se devem acatar, para bem de todos.

Vá cedo para ter mais tempo de apreciar tudo

A feira começa bem cedo, pouco depois do nascer do dia e atinge o auge às 11h00 da manhã. A partir daí, vendedores e compradores vão batendo, pouco a pouco, em retirada. Até essa hora, a animação é garantida. Nas proximidades  também existem cafés e casas regionais onde se pode intercalar o passeio com um quente cimbalino ou outras especialidades comestíveis. Admirar e fotografar a Torre dos Clérigos é quase obrigatório.
Mesmo que não esteja interessado/a em comprar um animal, é bastante divertido passear no meio daquela multidão, entre o apregoar dos vendedores:«Canários, meninas, canários!»  e os olhares curiosos dos eventuais compradores, tirando fotos, trocando ideias e admirando tanta beleza. Tenho meia dúzia de canários e um gato e venho à feira sempre que posso. Comprar alimentos e outras necessidades é sempre na banca do feirante António Silva. Exponho os problemas que me surgem com eles e tenho ali uma voz amiga que me aconselha o remédio e as precauções que devo tomar com eles. 
Quem sabe se no próximo Domingo não é você uma das pessoas que observa com ar atento, todos estes animais? E pode ser que, para fazer a vontade aos seus filhos, até leve um deles para casa... uma ave, por exemplo? Quem sabe?

E não se esqueça:  “ OS ANIMAIS SÃO NOSSOS AMIGOS! “

Texto de Elsa de Barros – In DN Magazine

Compilado por Elísio Rodrigues

A História resumida e ilustrada da Feira, com opinião de António Silva 







Desejo a todos as maiores prosperidades no futuro espaço da feira, o emblemático e pitoresco Largo das Fontainhas, com vistas deslumbrantes para o majestoso Douro!


Aquele Abraço


terça-feira, 24 de novembro de 2015

NOVO GOVERNO 2015

A LUZ AO FUNDO DO TÚNEL?!


QUEREMOS MAIS TRABALHO!
MAIS JUSTIÇA SOCIAL!

«... De pouco ou nada vale a riqueza pública e por maldita havemos de tê-la, se o bom uso dela não se exercita a salvar o Povo Português no renovo do seu melhor sangue, sem o qual não existe comunidade nacional venturosa, as próprias almas desfalecem e se evolam, de todo se estancam as fontes da Grei!»

Hipólito Raposo

sábado, 21 de novembro de 2015

Ornishow Internacional do Douro 2015


Decorreu no passado fim-de-semana 13, 14 e 15 o evento ornitológico “ORNISHOW INTERNACIONAL DO DOURO 2015” quiçá a mais prestigiada exposição de aves de companhia na região Norte. Este ano as aves expostas a concurso cifraram-se em mais de 4 mil, para gáudio dos 222 criadores presentes e como é óbvio, para os olhares atentos do júri e nos  restantes dias do público apaixonado, em geral.
Este evento que me agradou sobretudo pela enorme variedade de aves em exposição, para além dos canários, mais destacáveis os de cor e os de porte e o sempre fantástico "Arlequim Português", fascina-me sempre o grande número de psitacideos e sobretudo os exóticos de pequenino porte, onde se incluem os meus prediletos “tentilhões Australianos” em particular os «Diamante de Gould». Tanta beleza para regalo dos nossos olhos!

Uma vez mais foi esta empreitada levada a cabo pelos três clubes unidos, que podem ser visitados online nos endereços: www.ornigondomar.pt ; www.coporto.pt ; http://ciommatosinhos.no.sapo.pt ;

Nesse domingo de manhã só encontrei o amigo “Tozé da Celesta”, criador de canários de porte «Gloster Fancy» com belos exemplares patentes no expositor. Recebe o meu abraço e beijinho ao “Netinho da Celesta” recentemente nascido, e para a avó também.

Ainda não consegui saber o nº sorteado para o galo no final do evento, pois tenho o meu bilhete?!

Saí uma vez mais feliz desta amostra anual de uma minha eterna paixão, contemplando o quadro bucólico à saída do Pavilhão Gimnodesportivo Municipal de Covelo, o caudal do rio na Foz do Sousa, afogado pelas águas do majestoso Douro, ao olhar romântico da Serra das Flores, ali à vista. 

Lembrei-me uma vez mais de José Craveirinha e aquele arrepiante poema

O PRECONCEITO DA AVE

O preconceito da Ave
Não é o tamanho das suas asas
Nem o ramo em que poisou…
Mas, a beleza do seu canto,
A largueza do seu voo
e… o tiro que a matou!


IMAGENS DO EVENTO








Aquele Abraço

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

O Mundo em Guerra !


«... A civilização é um artista paciente que tem vindo pintando, dia a dia, durante séculos, no instintivo fundo malévolo do homem, as suas concepções idealistas do Bem, do Amor e da Liberdade.
Mas basta ás vezes uma rajada tempestuosa de interesses políticos ou discórdias religiosas, para apagar por momentos da alma humana toda essa idealização secular e reaparecer à luz implacável da Natureza o negro fundo malévolo do homem.

A principal rajada é a guerra!»

D. Alberto Bramão


Quando em 2009 participei num curso de iniciação à informática, o professor Eng. Carlos Moreira mandou os formandos fazer o primeiro desenho no "paint" para averiguar do que sabíamos ou não fazer, eu como não sabia fazer mais nada, fiz isto!


Aquele Abraço

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

terça-feira, 10 de novembro de 2015

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

COVIZ - Vizela (6ª Exposição de Aves)


Decorreu no passado fim de semana e que me pareceu com toda a normalidade, a 6ª Exposição de Aves de Companhia, organizada por esse novinho clube "COVIZ" para satisfazer os apaniguados de Vizela deste hobbye, a criação de Aves de Companhia e no caso concreto o fascinante mundo da "Canaricultura". Todos os anos nos tem presenteado com a sua singela exposição, que é de louvar!
Deparei com muita alegria estampada nos rostos de alguns criadores presentes, felizes pelas suas aves terem conseguido um lugar no pódio, que o júri atribui às raças de canários expostos por cada um, recompensando assim o esforço e dedicação despendida ao longo do ano, mas com muito carinho.

Obrigado ao COVIZ e em particular à sua Direcção, por ajudar a manter esta tradição bem viva em Vizela, há muito enraizada por muita gente local, como um passatempo saudável e em contacto com esta espécie de animal muito especial, como é o mundo das Aves, que devemos proteger e amar.   

Parabéns e até ao Ano!

Algumas imagens de VIZELA e do Evento





Aquele Abraço

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

A "saga" politiqueira em Portugal


... gostava de entender a atual "saga política" ou melhor, a "vã glória de mandar"!



As intervenções da maioria dos políticos que escutamos pela TV e RÁDIO nos últimos tempos, ficam quase sempre, na minha ótica, a necessitar - para os entender melhor - em 5 (cinco) advertências básicas da nossa língua, a saber:

- Falar vulgarmente com propriedade
- Fugir da proluxidade
- Não confundir razão com brevidade
- Não enfeitar com curiosidade as palavras
- Não descuidar com a confiança na afirmação

A retórica política, também já chamada de "narrativa política"para se escusar em respostas abreviadas, têm estas que ser francas e objetivas, que não confunda quem escuta, devendo obviamente serem usados vocábulos mais comuns e correntes no dia a dia dos cidadãos.

Porque assim eu poupava a paciência - que se vai esgotando - para os discursos e reportagens precedentes e não fazer OFF.

Um dia, António Aleixo ensinou que devíamos... falar só de vez em quando, porque às vezes calados dizemos mais que falando!



Aquele Abraço

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

10ª Postura Show (Valongo) 2015


Aqui ficam algumas imagens do Evento, que me pareceu bem organizado, muito participativo pelos criadores da especialidade "Postura=Porte" e pelo público atento as estas exposições.
Voltei a encontrar o "Tozé da Celesta", o Miguel que me apresentou o prof. Abel com os seus "fife-fancys" expostos, que me parecem sempre um... Border pequenino, muito redondinho...
Lá estava o "Canário Arlequim Português" com diversos exemplares em concurso e alguns só em exposição, considerado ainda por muitos um canário de raça..."plebeu" e sem grande valor estético na combinação de cores e de características de porte. Mas por ser "nosso" me merece sempre um especial destaque e vos deixo um poster dedicado a ele e ao criador todo babado que estava presente, sempre junto do expositor e orgulhoso do produto.

Parabéns e até ao Ano!





Aquele Abraço

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

AVES : os PRECONCEITOS


(...) Discreto mas com atenção, escutei-vos a falar das aves. É uma época propícia à divulgação de Eventos que se aproximam, de histórias vitoriosas ou falhanços na reprodução, uma mistura da actividade doméstica com tempo de calendário da abonatória...
Da tua boca soaram essas tristes palavras que julgas serem sábias, afirmadas com convicção para todos ouvirem:
- A caça tem que haver todos os anos, que é para haver equilíbrio!...

Olhei-te com desdém e fizeste-me sentir pena de ti e dos que pensam como tu!

(...) Depois, voltaste do bar e aproximaste-te para me ouvir falar delas com carinho e profundo sentimento pelas perdas causadas anualmente pelo ser humano, que me disseste:
- És um gajo cheio de preconceitos!...

Hoje, respondo-te nesta minha página, com os tais "preconceitos" ilustrados, para que não te esqueças que um dia ouviste alguém a falar... das estrelas! ... E digo-te:
- Não imitas os outros, só porque são poderosos e possuem boas espingardas. 
Um dia acaba tudo!
Corrige-te, luta também pela preservação das espécies e não te deixes enganar! 

Os "Preconceitos das Aves"











Para este humilde trabalho, inspirei-me:
(Funética) : Grito de alerta = José Craveirinha
(Morfologia/Sintase) : Voz do Povo = António Aleixo

Aquele Abraço


sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Exposições de Aves 2015 / 16

DIVULGAÇÃO DE ALGUNS EVENTOS





Independentemente dos resultados, desejo que todas as Exposições fascinem quem as visita e corram pelo melhor, com a compreensão de TODOS!

Aquele Abraço