quarta-feira, 10 de agosto de 2016

"Ecos do Dia 17 de Julho" em Paço de Sousa





(Crónica de Manuel Pinto - Jornal "O Gaiato" nº 1889)

Sr. Manuel Augusto Pinto:

Você sabe o grande apreço que tenho por si, bem como um grande respeito e reconhecimento de estimável pessoa que é um exemplo vivo para todos nós, no que concerne à continuidade na Obra da Rua, concretamente na Casa de Paço de Sousa.
Mas, quero lhe dizer a si e a todos que lerem esta minha mensagem, que as suas crónicas publicadas no nosso jornal "Famoso" (à parte das da autoria dos nossos Srs. Padres) representam para mim, pela sua simplicidade e tão cheias de verdade e sublimes mensagens, o enquadramento doutrinal perfeito no "paragrafo 4 dos Estatutos da Editorial do «O Gaiato»" da autoria de Pai Américo:

«Aquele a quem Nosso Senhor deu o talento de escrever, escreva como quem reza. Prepare-se como quem vai falar de Deus. Só desta forma corresponde e faz valer o dom.» 

Um grande BEM-HAJA e que Deus lhe continue a dar muita saúde, em harmonia com a Paz!

Recordações de 2016 e de 1995:




Uma saudação especial para aqueles que não poderam estar presentes (como já me aconteceu a mim noutros anos) e gostaria de voltar a ver o José Rafael, o João Manuel Capela, o Sérgio Lopes Cereja, o Sabino Romeiro, o António e o Alberto da Conceição, o Manuel (Manelzinho), etc...

Aquele Abraço








Sem comentários:

Publicar um comentário