domingo, 1 de maio de 2016

Não basta ser "Mãe"


(Opinião sensata)

SOFRIMENTO SEM GRANDEZA

Não basta ser mãe, nem sequer sofrer, para reinar no coração dos filhos. Há mães que sofrem e o seu sofrimento não tem grandeza, nem merece ser agradecido. Esse sofrimento sem grandeza é o das mães que recolhem o fruto do abandono na educação dos filhos. Os filhos mal educados são insubordinados, viciosos, escandalizam, desonram a família.
- Como  eu sofro! – diz a mãe.
Sofres agora porque não quiseste sofrer no devido tempo. O teu sofrimento não merece agradecimento nem recompensa.
Sofre a mãe mundana e vaidosa porque as suas filhas são muito boas e frequentam a igreja e ela preferia que fossem antes divertir-se. Vestem modestamente e ela desejaria que vestissem consoante os cânones duma moda escandalosa. Esse sofrimento não merece o prémio de Deus nem o amor agradecido das filhas.
Sofre a mãe orgulhosa porque desejaria que suas filhas frequentassem outros meios de posição mais elevada e não tem dinheiro para as festas nem para vestidos e talvez até se prive do necessário para que elas brilhem. O sofrimento dessa mãe não merece um monumento a perpetuá-lo.
Sofre uma mãe egoísta. Não quer que os filhos casem nem os deixa praticar a religião. Que já não se usa, diz. Quer é que estejam sempre ao seu lado, dando-lhes o sustento e eles mimando-a, embora para isso tenham até de sacrificar o seu futuro e a sua felicidade. Nunca lhes disse que seguissem em frente nas suas próprias vidas, lutando verdadeiramente por ela. O seu sofrimento não merece veneração.
Sofre a mãe comodista porque Deus lhe dá filhos e ela não os quer ter. Está na cruz porque nela a puseram e dela não pode desprender-se. Retorce-se com desespero, esquece-se que muitas querem e não conseguem ser mães e até renega Deus.
Para que o sofrimento de mãe tenha grandeza, é necessário sofrer por motivos elevados e construtivos da humanidade e abraçar o sofrimento com a verdadeira valentia heróica de mãe!
A experiência ensina-nos que os pais são cada vez menos respeitados porque lhes falta a autoridade e as mães são pela mesma razão menos veneradas e menos amadas, porque a elas próprias lhes falta o amor.

Exemplo heróico dum filho

Para agradar a sua mãe, um filho é capaz de fazer o que não faria por nenhum outro motivo.



CORIOLANO

CAIUS MARCIUS CORIOLANUS foi um general e líder no antigo império Romano por altura do século V a.C. Com sobejas provas em conquistas para o engrandecimento do império, mereceram-lhe as mais altas honras da sua pátria. Um dia, porém, sentiu-se ofendido com uma decisão do Senado contra ele, e refugiou-se entre os VOLSCOS, antigo povo itálico de origens indo-europeias, aos quais já ele tinha vencido. Revoltado, assumiu o comando deste exército e marchou sobre Roma. Quando os seus concidadãos souberam, trataram logo de o aplacar por qualquer meio, pois era astuto e poria em perigo o próprio império romano. Durante os dias de cerco e por chantagem, foi-lhe oferecido muitas terras e montões de dinheiro mas ele rechaçou-os sempre com desprezo irónico. Os próprios Senadores foram ao seu encontro a pedir-lhe que poupasse a cidade mas não quis escutá-los sequer. Já em desespero e quase prestes a reconhecer a derrota, montaram uma estratégia, mandando uma embaixada só de mulheres, tendo à frente a sua própria mãe.
Quando Coreolano viu a mãe, dirigiu-se a ela para a abraçar, mas, a mãe ajoelhando-se diante dele, pediu-lhe a salvação de Roma. O filho levantou a mãe do chão e pronunciou as célebres palavras:

- Mãe, salvaste Roma, mas perdeste o teu filho!

Com efeito e naquele momento assim sucedeu. Corelano deu ordem de retirada ao exército, mas os VOLSCOS, prestes a conseguir uma façanha histórica, sentiram-se atraiçoados, e sublevando-se contra ele, esquartejaram-no.

Moral da história:

A mãe reina sobre o coração dos filhos durante a vida e reina perante e depois da sua morte!
   
Recolha Literária

O Nosso Lar / Juan Rey



CURIOSIDADES




A MÃE DE TODOS



Aquele Abraço

Sem comentários:

Publicar um comentário