quinta-feira, 26 de maio de 2016

Corpus Christi...


…significa Corpo de Cristo. É uma festa religiosa da Igreja Católica que tem por objetivo celebrar o Mistério da Eucaristia” ou seja, o sacramento do corpo e do sangue de Jesus Cristo.
A festa de Corpus Christi acontece aos 60 dias depois do Domingo de Páscoa ou na Quinta-feira seguinte ao domingo da Santíssima Trindade, lembrando a todos que acreditam, a Quinta-feira Santa quando Jesus nos revelou o “Sacramento da Eucaristia".




Rabbi (como pregava)

Tomai pão: - recebeis a carne minha.
Tomai vinho: - é meu sangue da Paixão.
A hora misteriosa se avizinha.
As letras dos Rabbis não falam vão!

«JESUS DE NAZARÉ, REI DOS JUDEUS»

O Rabbi com seus tristes olhos sérios,
Pelos montes, pelos rios, pelas searas,
Vai andando e pregando ideais mistérios,
Novos céus, novas leis místicas e raras.

E assim prega o Rabbi: - Andai no mundo
Sem alforge, sandálias, nem bordão.
Pregai e consolai. Limpai o imundo!
E dai a própria capa ao vosso irmão.

Do valor próprio não façais alardes!
Saudai o vosso hóspede primeiro.
Sede entre lobos cândido cordeiro.
Não temais que vos mofem por cobardes.

E Rabbi fala e diz: - Andai de rojo,
servindo o cego, o inválido, o indigente.
Tornai-vos mais rasteiros do que o tojo.
Lavai, como eu, os pés a toda a gente.

Se alguém vos baterem numa face,
Estendei logo a outra após também.
Porque antes que este mundo, ou o céu passe,
Do bando meu não passará ninguém!

Não ameis tudo que fulgura e brilha.
Se acaso um inimigo pelas ruas
Vos force a andar com ele quase a milha:
Ide ! - e caminhai com ele as duas.

Dai aos órfãos e aos pobres que não têm
Os grãos da vossa eira, ou da colheita. 
Que a vossa esquerda nunca saiba o bem
Que praticou a vossa mão direita!

Não vos cansem receios ou estorvos,
Cuidados do alimento ou do trajar,
- Nunca aprenderam a ceifar os corvos!
Não sabem tecer lírios nem fiar.

Contudo, em sua tépida estação,
Ninguém tem um vestido como o lírio!
Nem Mago, nem Tetrarcha, ou Rei Assyrio,
Nem mesmo em sua glória, Salomão.

Aferrolhai tesouros só de Graça
Celeste nas divinas regiões,
Pois, na terra, no escuro, vem a traça,
E de noite vem os furtos dos ladrões.

Em meu nome e meu Verbo, largareis
Vosso lar, vossos Pais, as vossas Mães.
- Pérola a cerdos vis nunca deiteis!
- Nunca o que é Santo profaneis aos cães!




Se pleito litigardes, ou questão
Com vosso irmão, e fordes para orar,
Deixai a vossa oferta ao pé do altar,
E correi a abraçar o vosso irmão!

Se em qualquer terra, sem mostrarem dó
De vós, vos molestarem os ingratos,
Fugi dela! Deixai-a! E dos sapatos
Sacudi, maldizendo-a, à porta, o pó!

Mas ah! Tristes das terras, das cidades!
Mais lhes valera terem, digo eu,
De Sodoma e Gomorrha as impiedades,
E sobre elas chover fogo do Céu!

E assim prega o Rabbi - eis cai-lhe aos pés
Um certo homem da tribo de Levi,
E brada-lhe: - Conheço quem tu és!...
Irei contigo, e com os teus, Rabbi!

Mas o Rabbi: - As feras e as raposas
Acham covas na terra onde habitar.
Têm seus ninhos, também, aves gloriosas!
- Mas eu não tenho pedra, leito ou lar!

Outro lhe diz: - Ó Mestre se te apraz
Deixa, primeiro, que eu abrace os meus.
Mas Ele: - Nunca chega a ver os céus
Quem mete a mão no arado e olha atrás! 

Assim segue o Rabbi, sempre entre os seus
Discípulos e Apóstolos da Fé,
Sem saco, alforge, sem bordão, a pé,
Dizendo coisas místicas dos Céus.

Porém, na sombra, em baixo os vãos doutores
Ladram aos seus com ira: - Anda a agitar
Os escravos, a plebe, os pescadores,
Deve-o Roma, sem falta, condenar!

Outros dizem: - Recruta Publicanos
Imundos, e leprosos, não vês tu?
E os Anciãos, com risos e tiranos
Dizem aos Phariseus: - Tem Belzebuth !

Mas o Rabbi, nas altas penedias,
Em pé, dos céus olhando as multidões,
Estático, medita em Theogonias,
Mistérios, Liturgias, Religiões...

Versos de Gomes Leal
(História de Jesus)


Aquele Abraço













Sem comentários:

Publicar um comentário