sábado, 18 de maio de 2013

Dia de visita aos Museus

... Há livros, há poemas, há telas, há partituras, que basta um livro, um poema, uma tela, uma partitura, para que o seu autor transponha as portas da eternidade. (Fernando Pessoa)















ENIGMA (Alma)

Pretendes conhecer-me. E, vão intento,
Nas crispações das faces e no olhar,
Com afinco procuras encontrar
A afirmação do teu pressentimento.

Mas a minha alma, que reflecte o Mar
No seu louco tumulto e pensamento,
Mais orgulhosa oculta o seu tormento,
Não grita a sua dor, sabe calar.

Não podes conhecê-la. Porventura
Alguém pode sondar a profundura
Duma alma? Quantas vezes estremeço

Ao pensar, eu, que me esqueço a sondá-la
- Após tanto medir e interrogá-la
Que afinal também me desconheço!...


Poema de António Carneiro




Sem comentários:

Publicar um comentário