terça-feira, 13 de novembro de 2012

10000 Crianças passam fome em Portugal (A)

Mais de 10000 Crianças passam fome em Portugal!


Talvez a coisa mais triste 
Que senti na minha vida
Foi ver que em Portugal existe
Fome! E a Esperança perdida!...
 



QUE A NINGUÉM FALTE O PÃO! 
Em pleno século XXI são cada vez mais assustadoras estas tristes notícias que diariamente a comunicação social e o próprio governo nos “bombardeiam”, nomeadamente a fome que se alastra e a perda de habitação, com as terríveis consequências para quem é atingido, bem como a repercussão na própria sociedade. 
Esta fanática política de austeridade que gera o desemprego e o galopante aumento do custo de vida que atinge quase todos, levaram a miséria a muitos lares que eram felizes e que hoje lhes falta praticamente tudo! 
Em muitas casas – milhares, meu Deus! – há irmãos nossos que já nem sequer têm uma sopa e uma fatia do “pão nosso de cada dia” para comerem e darem aos filhos, pão que a ninguém devia faltar. 
Tanta miséria declarada e outra tanta escondida, a viverem sem rendimento algum ou parcos euros de rendimento de subsistência, as pessoas socorrem-se nas famílias ou nos amigos – se os tiverem – indo em última instancia às instituições de solidariedade social. 


Para além das soluções – urgentes!! – de concertação social que todos ansiamos e aguardamos que governo e “troikas” tragam aos Portugueses, sabemos todos que há muitos ricos, muita gente que vive sem problemas de ordem material e não sabem o que é “fome” ou “despejo” de sua casa. 
Julgo que esses – geralmente empresários - deviam, nestes momentos tão críticos que Portugal atravessa, ajudar mais – há tanta forma de o fazer! – aqueles que neste momento lutam diariamente para ter que comer para si e para os seus e sobretudo não termos de ver tantas crianças – o futuro do nosso País! – serem mal alimentadas ou passarem mesmo o dia apenas com a refeição que usufruem nas escolas, fruto das desgraças a que tantos lares chegaram e infelizmente muitos já se desfizeram e separaram pais de filhos!

Continua...

Sem comentários:

Publicar um comentário