terça-feira, 17 de abril de 2012

O Pária


Como um "pária" eu ando desde criança,
Sem choça nem bordão! Únicamente
No meu pensar um sonho surpreendente
E o coração tão cheio de esperança...

Ao sol, à chuva e ao frio inclemente
Andei, andei, andei... pois não descansa
Quem nada tem e sonha com a bonança
Que aspira e vê no Céu, místicamente.

No labirinto de caminhos me perdi:
Passei fomes e sedes... só eu sei
Para continuar na estrada o que sofri!

Nem quero me lembrar. Porque passei
Dor e humilhações. Mas, se resisti 
Foi pelo muito que chorei e que lutei!

Sem comentários:

Publicar um comentário