segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Protesto contra taxas no Gerês

«Montanhistas de todo o país e de Espanha desfilaram ontem pelas ruas centrais de Braga, em Braga, protestando contra a portaria 1245/2009 que obriga ao pagamento de taxas para a prática de desportos em áreas protegidas. A portaria está suspensa e reclamam a sua revogação.
"Querem que a gente pague como se fosse um imposto por fazermos o que mais gostamos que é desfrutar das nossas montanhas", diz Rui Barbosa, um dos promotores da marcha silenciosa que ontem juntou perto de meia centena de montanhistas.
Carlos Gomes, presidente da Federação Portuguesa de Montanhismo alega que a razão de ser da existência daquele organismo é o usufruto das montanhas. "O Ministério do Ambiente já reconheceu que algo não está bem. Temos de continuar a meter pressão sobre o Governo, porque os montanhistas são quem mais defende e protege a natureza".»

Texto (resumo): PEDRO VILA-CHÃ

http://jn.sapo.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Braga&Concelho=Braga&Option=Interior&content_id=1446066

Na minha opinião, estou de acordo que se apliquem taxas para quem anda... de carro pela Serra a poluir. Pode-se perfeitamente chegar ao local da caminhada e estacionar o automóvel, em vez de andar com transportes poluentes pelas serras.
Também estou de acordo que paguem taxas, ou melhor, coimas! – quem deixa ficar na serra o lixo (das embalagens, sacas, papeis, tabaco,etc) e que por falta de sensibilidade e civismo não leva consigo a porcaria que os outros terão de recolher, com custos adicionais. Esses trabalhos de limpeza deviam ser os prevaricadores a pagar!
Quantas vezes é o Caminheiro anónimo que voluntáriamente recolhe e leva consigo o lixo que vê e por amor à Natureza não tem coragem de deixar ficar a porcaria que quem deixou devia ter levado.
Quanto às taxas a aplicar para quem usufrui das caminhadas na montanha, só em último caso (se o Estado estivesse falido!) é que se deveria pagar uma taxa simbólica para ajudar nos custos da conservação das espécies e de toda a Natureza.

Até breve!

Sem comentários:

Publicar um comentário