domingo, 27 de março de 2016

Dia do Teatro

Recordação da década de oitenta...

Era eu funcionário da UNICER, empresa de cervejas, em Leça do Balio. Trabalhava-se muito, naquele tempo. Percorri alguns departamentos e exerci diversas funções laborais, desde os "Armazéns Gerais" em atendimento universal para os requisitos de todas as secções, até à "Distribuição/Vendas", onde terminei como motorista de pesados. Andei por lá uns treze anos.
Como em tudo na Vida, houve para mim nesta empresa algumas coisas menos boas, mas o balanço - sempre com muito trabalho - foi positivo. Camaradagem, salário e (para mim) a componente instrutiva, inteirando-me quando tinha algum tempo, de qualquer evento que fosse realizado pelo Centro de Cultura e Desporto. Havia as cartas e bilhadaras mas, despertava-me nessa altura a "2ª Arte"concretamente o Teatro. Já havia experimentado a 1ª (cantei em criança no Coliseu do Porto para plateia a abarrotar). Todavia, fui-me apaixonar "descaradamente" pela 6ª e a hipótese de poder vir a representar caiu-me à nascença sem experiência alguma de relevo. Passei a ler e a declamar poesia, bem como outros tipos de literatura. 


O "fabrico" da cerveja é um "teatro aberto"

Recordo, então, pelos anos oitenta, da curiosidade que tinha pelo «TU» Grupo de TEATRO DA UNICER, e conhecia alguns funcionários que representavam. Soube por essa ocasião, que um colega (sabia quem era por pertencer à Comissão de Trabalhadores e ouvi-o a falar quando alinhei numa greve na tentativa de passar aos quadros da empresa) chamado José Vaz, do qual se dizia... escreve excelentemente peças de teatro para crianças e o «TU» anda a promover algumas.
Fui uma vez espreitar e fiquei fascinado pelo carinho e empenho que os funcionários "atores" punham nas suas representações, (estou a recordar o Cardoso a caçar borboletas e era um personagem hilariante) sabendo que iriam no futuro representar para plateias de crianças.
Passei a inteirar-me mais pela obra do José Vaz e neste dia lembrei-me daquela peça, que ainda não tinha partilhado convosco em anos anteriores, e aqui deixo o testemunho:











Algumas opiniões de José Vaz:








Aquele Abraço






Sem comentários:

Publicar um comentário